FGV Direito Rio lança Programa Diversidade

Objetivo é abraçar a pluralidade e coibir discriminaçõesA FGV Direito Rio lança essa semana o Programa Diversidade no intuito de alinhar-se às melhores práticas internacionais e nacionais, no que se refere ao fortalecimento da diversidade como um elemento potencializador de excelência acadêmica. “Não é incomum que professores(as), funcionárias(os), alunas(os) e terceirizadas(os) de instituições sintam-se constrangidos e preteridos em razão de características pessoais socialmente estigmatizadas ou desvalorizadas em seus ambientes profissionais. O Programa Diversidade visa justamente abraçar a pluralidade e coibir discriminações através de políticas internas que visam consolidar a nossa Escola como um ambiente acadêmico inclusivo, plural, acolhedor e criativo”, explica a professora e coordenadora do projeto, Ligia Fabris.
Fabris explica que o Programa Diversidade atuará em diversas frentes. A primeira delas é a criação do Comitê de Diversidade com o objetivo de garantir um mecanismo educacional e de monitoramento frente a condutas preconceituosas e discriminatórias específicas. O Programa também será responsável pela organização e realização de eventos e debates e por sugerir disciplinas que se relacionem com a temática. Em Novembro, a Escola sediará um grande evento internacional que tematizará as relações entre Direito e Gênero. Outra ação do projeto será a realização de “Diversity Training”, isto é, Workshop de Diversidade para o corpo docente.
“Além de tudo isso, vamos: apoiar as entidades estudantis já existentes, principalmente no que diz respeito aos seus projetos de Diversidade (Amplia, FGV+, União de Mulheres, Coletivos LGBT e Coletivo Negrx); desenvolver metas e estratégias para a melhora das métricas de equidade e diversidade no curto e no longo prazo; e propor políticas de acolhimento para alunos funcionários, ou terceirizados que sofreram algum tipo de preconceito ou violência dentro da instituição. O Programa proporá ações visando a construção de um ambiente em que valores como respeito, dignidade, igualdade, solidariedade, justiça e liberdade sejam colocados como prioridades ”, completa a docente.